MG- Candidato pinta o rosto para entrar em concurso do INSS por cota racial, em MG

Lucas Soares Fontes, passou em um concurso do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), na Agência de Além Paraíba (MG) e ocuparia o cargo de Técnico do Seguro Social. Porém, após uma denúncia anônima, foi eliminado da seleção. Lucas é branco e de olhos claros e passou como cotista negro após pintar o rosto e usar lentes pretas para mascarar a cor dos olhos.

Conta na denúncia que após ser notificado pelo órgão e solicitado que enviasse novas fotos, “o candidato enviou um e-mail para a Divisão de Desenvolvimento de Carreiras do INSS, informando que na certidão de nascimento dele constava a cor parda”.

Além disso, Lucas afirmou ter documentos comprovando sua participação em outros processos seletivos por meio de cotas, em que teria sido “aprovado e homologado”. Entre as instituições estariam a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e o Conselho Regional de Psicologia.

O candidato alegou que as imagens da denúncia foram “clareadas de forma a alterar o seu tom de pele” e os “eventuais olhos azuis” são lentes que utiliza “eventualmente para fins estéticos”.

Novas fotos

O Cebraspe, banca avaliadora do concurso, pediu ao INSS que o candidato enviasse novas fotos para comparação. As novas fotos enviadas por Fontes, entretanto, também não eram reais. O Cebraspe solicitou que o candidato fosse ao INSS para tirar outras fotos. Contudo, Lucas alegou que não poderia ir “por estar afastado”.

Foi solicitada a foto da identidade ou da carteira de motorista para comparação. A investigação acerca do caso teve início em 11 de outubro de 2018 e foi concluída somente no último 21 de maio deste ano. A dispensa dele foi publicada no Diário Oficial da União do último 30 de maio.

Fonte: G1
Publicação: Adrieli Langner

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *